Alunas desenvolvem bactéria capaz de comer plástico e convertê-lo em água

899

Quando eram adolescentes, Miranda Wang e Jeanny Yao, residentes em Vancouver, no Canadá, começaram a preocupar-se seriamente com o problema da poluição dos oceanos.

Atualmente, são lançados 8 milhões de toneladas de plástico anualmente nos oceanos, sendo praticamente impossível controlar o seu impacto. À conta disto, é estimado que até 2050 haverá mais plástico que vida marinha nos oceanos.

Ainda no ensino secundário, Miranda e Jeanny decidiram explorar a possibilidade de desenvolver uma bactéria capaz de degradar o plástico sem prejudicar o meio ambiente.

De acordo com as jovens, esta bactéria poderá ser colocada nos oceanos para eliminar uma grande quantidade de microplástico nociva à fauna marinha.

No ano de 2013, a dupla começou a dar palestras sobre o seu estudo pelo mundo, chegando mesmo a receber incentivos financeiros e a ganhar prémios.

Miranda e Jeanny pretendiam criar uma bactéria que se alimente exclusivamente de resíduos plásticos, e agora estimam que cada litro de solução bacteriana consiga remover aproximadamente 9 gramas de plástico.

A dupla testou o produto em 2016, com sucesso, e estão à espera que seja comercialmente viável brevemente.

“O plástico é um material essencial, e mesmo com a iniciativa de vários países de não o usar, dificilmente será deixado de lado, por isso é necessária uma saída urgente e biodegradável”, explicou Miranda.

PARTILHE!

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais