Coronavírus: o suprimento de válvulas para reanimadores estava a acabar, mas um engenheiro encontra uma maneira de imprimi-las em 3D

2.374

Na Itália, vivem-se dias de angústia, pois a propagação descontrolada do novo Coronavírus deixou o sistema de saúde sem resposta.

Os profissionais de saúde italianos estão absolutamente exaustos, e já há falta de material hospitalar para ajudar os doentes.

No hospital de Chiari, na província de Brescia, o stock de válvulas para reanimadores (instrumentos de ressuscitação) está praticamente acabado e os médicos não sabiam se receberiam equipamento novo em breve.

Entretanto, foi solicitada a ajuda do Giornale di Brescia, cuja diretora, Nunzia Vallini, contactou com Massimo Temporelli, físico inserido na área da impressão 3D.

A ideia era conseguir compensar a falta de válvulas através da impressão 3D, mas os laboratórios Temporelli em Milão estavam fechados há algum tempo.

Então, o engenheiro Brescia Cristian Fracassi, proprietário de uma empresa farmacêutica e uma impressora 3D, ofereceu-se para levar a impressora diretamente ao hospital.

Em poucas horas, as primeiras peças tão necessárias foram fabricadas. Apesar da polémica de não terem certificados de saúde para usar as válvulas, a equipa de Fracassi não se deixou intimidar pela burocracia.

As válvulas impressas em 3D funcionam e estão a ser utilizadas no hospital de Chiari, em Brescia e outros.

Felizmente, a tecnologia tem ajudado a salvar muitas vidas em Itália.

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais