Estudo revela que os homens irritam as suas companheiras com a sua “audição seletiva” 7 vezes por semana

780

Segundo um estudo recente, 7 em cada 10 britânicos acreditam que o seu parceiro tem “audição seletiva” – os homens mais que as mulheres.

Para casais em todo o Reino Unido, é um cenário familiar – um pede ao companheiro que este faça algo e, convenientemente, este “não ouve” o que é dito.

As investigações revelaram que os homens “não ouvem” 388 vezes por ano. Durante uma semana típica, os homens não ouvem a mulher diz em 7 ocasiões.

Em comparação, as mulheres “não ouvem” os parceiros 339 vezes por ano (cerca de 6 vezes por semana).

Apesar de irritante, os especialistas da Scrivens Hearing Care, que encomendaram a investigação para marcar o Mês da Consciência Auditiva, recomendam cautela, pois pode mesmo haver mais do que o parceiro simplesmente ser preguiçoso – ele pode sofrer dificuldades auditivas.

Mais de metade dos adultos admitiu estar preocupada que a “audição seletiva” do seu parceiro resulte de problemas auditivos genuínos. Aproximadamente 4 em 10 chegam a dizer que têm a certeza que a sua cara metade tem dificuldade em ouvir.

“a maioria de nós já experienciou uma” audição seletiva”, quer seja o acusado ou o acusador”, disse Kirran Saimbi, audiologista sénior de Scrivens e especialista em aparelhos auditivos.

“Mas, brincadeiras à parte, pode ser um sinal de perda auditiva. Se este sinal for ignorado, a perda auditiva pode levar ao isolamento, depressão e até demência. As mudanças na nossa audição geralmente são tão subtis e acontecem ao longo do tempo, que pode ser muito difícil perceber o seu impacto sobre as nossas vidas e as pessoas ao nosso redor. É por isso que as verificações regulares da audição são tão importantes”, explicou.

O preocupante é que um 1/3 dos 2.000 adultos entrevistados disse que o seu parceiro parece inconscientemente tentar ler os seus lábios, porque não consegue entender o que lhe está a ser dito – um sinal comum de dificuldade auditiva.

Da mesma forma, 47% admitiram que a sua cara metade tem tendência a murmurar – outro indicador de possíveis problemas auditivos.

A dificuldade em ouvir consoantes também é um sintoma de dificuldades auditivas, e foi relatado por ¼ das pessoas, relativamente ao seu parceiro.

Para além disso, 6 em cada 10 disseram que o cônjuge também tem tendência a ver televisão ou ouvir rádio com o volume elevado, e 1/3 revelou que os parceiros têm muitas vezes de pedir que os outros falem mais devagar, com clareza e em voz alta.

4 em cada 10 pessoas disseram que o companheiro fica frustrado durante as reuniões sociais, porque têm dificuldade em entender o que está a ser dito, e por isso têm tendência a retirar-se das conversas e consequentemente afastar-se das pessoas.

O estudo Scrivens, realizado através do OnePoll, também descobriu que 1/3 não fazia ideia que testes auditivos gratuitos e serviços de assistência auditiva estão disponíveis em muitos locais, como oculistas ou farmácias.

“Quanto mais cedo procurarmos ajuda para a perda auditiva, melhor, pois isso pode prevenir efeitos colaterais comuns, como o isolamento social e a depressão. Se suspeita que a sua audição não é tão boa quanto costumava ser, os check-ups regulares da audição são uma boa maneira de monitorizar a saúde dos seus ouvidos”, acrescentou Kirran.

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais