Leonardo DiCaprio doa $15.6 milhões para salvar animais raros

527

Você pode conhecer Leonardo DiCaprio pelos seus papéis principais em filmes como Titanic ou The Great Gatsby, mas o que talvez não saiba é que há anos ele tem vindo a arrecadar dinheiro para causas ambientais sob uma fundação com o seu nome.

Para o ator, tudo se resume a proteger a biodiversidade do planeta. Segundo o seu site, a Fundação Leonardo DiCaprio foi “projetada com a ideia de proteger os últimos habitats selvagens do mundo e salvar a fauna selvagem vulnerável da extinção”.

A fundação foi estabelecida pelo ator em 1998, quando tinha apenas 24 anos, mas já se mostrava preocupado com a forma como a mudança climática provocada pelo Homem estava a afetar negativamente o planeta Terra.

 

Através da fundação, que já angariou centenas de milhões de dólares para projetos em mais de 40 países (e 5 oceanos!) – o ator tem apoiado ativamente outras organizações ambientais, como a World Wildlife Fund (WWF), e até ganhou grandes prémios pelo seu esforço de captação de recursos e doações.

Recentemente, foi anunciado que Leonardo fará mais uma grande doação pessoal a estas causas – uma de exatamente US $ 15,6 milhões.

Enquanto o anúncio foi publicado em outubro passado pela Ecoportal, mais informações estão a surgir agora. O dinheiro será doado através da fundação e destinado ao financiamento de programas de conservação de espécies prestes extinguir-se.

Nos últimos anos, o ator tem falado cada vez mais sobre a pouca atenção que prestamos à crise ambiental por todo o mundo, que está a matar espécies e ecossistemas inteiros e a criar espaços que não podem ser habitados por pessoas, plantas e animais porque se tornaram muito quentes ou não têm água.

O mau tempo, o calor e a seca levaram ao ressecamento da água interior e resultaram na criação de “refugiados climáticos” em busca de novos lares.

Leonardo DiCaprio também deixou muito claro que a nossa legislação atual está a fazer cada vez mais e mais concessões para agradar a indústrias que estão a causar a maior parte desses danos.

A doação mais recente do ator parece ser destinada a subsídios e projetos que ajudarão a salvar animais que correm o risco de ser colocados na lista de espécies ameaçadas – ou criticamente ameaçadas – por causa da destruição de habitat e caça furtiva, como girafas.

Há apenas alguns dias, o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos disse que tinha encontrado “informações substanciais” que provam que as girafas mereciam estar na lista – algo que a maioria de nós não tem noção, pois ainda é uma visão comum nos jardins zoológicos.

As doações do ator baseiam-se na esperança de que as pessoas possam fazer uma diferença real se apoiarem e acreditarem nos projetos mais eficazes que estão em marcha. Não havendo como parar muito do que está por vir, o melhor que podemos fazer é enfrentar a situação, na esperança de mitigar alguns dos danos e proteger o máximo de vidas possível.

Embora Leonardo já tenha recebido algumas críticas no passado por atividades menos amigas do ambiente (mas também, quem de nós não recebeu?), encarou-as com grande honestidade.

Por exemplo, em 2016, foi de jato particular receber um prémio de conservação e participar noutro evento de captação de recursos. Quando confrontado pelas manchetes que o chamavam de hipócrita, explicou que era a única maneira de participar em ambos os eventos.

A verdade é que, independentemente do que as pessoas possam pensar sobre qualquer ação que o ator possa ter feito num determinado dia, ele também doou e ajudou a angariar milhões de dólares para causas ambientais, leiloou a sua casa por caridade e usou a sua fama para aumentar a consciência do público para os esforços de conservação da vida no nosso planeta – e isso é certamente mais do que a maioria de nós pode dizer.

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais