Jovem de 27 anos que ligou as trompas: “Não odeio crianças, só não quero ser mãe”

4.918

Ao contrário do que muitos acreditam, Belén Álvarez, uma jovem de 27 anos da Argentina, não odeia bebés – ela simplesmente não quer ser mãe.

Ela sabe disso desde sempre, e a sociedade sempre a condenou pela sua decisão. No entanto, como membro do movimento Child Free, conseguiu finalmente encontrar um espaço acolhedor onde deixou de “se sentir maluca”.

Desde muito cedo na sua vida, Belén sempre sentiu que não queria ter filhos, mas nunca foi levada a sério. Durante muito tempo, sentiu-se julgada pelos colegas, amigos próximos e familiares.

No entanto, um episódio com uma professora fê-la perceber que a sua posição era tão válida como qualquer outra, falando com uma clareza raramente vista em mulheres mais velhas.

“Ela disse que não tinha vergonha de não ter casado nem ter tido filhos e que era feliz assim. Eu fiquei muito surpreendida, porque me sentia da mesma forma, mas não sabia que havia pessoas que viviam bem sem essas duas coisas. A partir de então, ficou mais claro do que nunca que esse é o estilo de vida que eu quero”, lembra Belén.

O tempo foi passando e Belén manteve a sua postura, tendo de suportar todas as perguntas das pessoas que queriam intrometer-se na sua vida e se sentiam incomodadas com a sua decisão.

Ela namorou com uma pessoa durante 6 anos e as pessoas presumiram que eventualmente sentiria o chamamento para ser mãe, mas isso nunca aconteceu.

Belén começou a perceber que “a sociedade não está acostumada a que a mulher faça escolhas sobre o seu corpo” e que “o corpo é propriedade privada, e a decisão de ter ou não filhos é de cada mulher”.

A certa altura, ela soube da existência do movimento global Child Free, que reúne mulheres e homens que não fazem planos de ter filhos nas suas vidas. Nesse grupo, ela encontrou apoio, conforto e esperança.

“Encontrei um mundo de pessoas que partilhavam o sentimento de não querer ter filhos. Todos nós tivemos experiências semelhantes, lidando com a tia típica que insiste no Natal. O movimento Child Free deu-me muito. Não me sinto mais sozinha nem maluca”, explicou Belén.

A jovem disse que os membros da Child Free não odeiam crianças nem fazem julgamentos morais contra quem decide ter filhos, porque entendem que cada pessoa tem os seus próprios objetivos e planos de vida, que podem ou não incluir bebés.

Depois de algum tempo, a jovem decidiu ratificar a sua decisão. Depois de quase 10 anos a lidar com o assunto e a receber recusas ou comentários evasivos de médicos, conseguiu realizar a tão ansiada laqueação das trompas no final de 2019.

“Eu conheço tantos idosos que nunca ninguém vai visitar e morrem sozinhos. Então, eu sei que ter filhos não garante nada. Para além disso, vou trazer uma criança ao mundo para ser minha enfermeira? Isso soa como um egoísmo para mim”, disse Belén relativamente ao argumento que algumas pessoas tentavam usar para a convencer a ter filhos.

É inaceitável que, hoje em dia, ainda haja quem queira impedir as mulheres de tomar decisões sobre os seus próprios corpos, especialmente quando esse raciocínio é baseado em “valores” e “bons hábitos morais”.

Temos de construir uma sociedade baseada no respeito pelos outros e pelas suas escolhas, independentemente do seu modo de vida.

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais