“O amor cura, o ódio mata”: a preciosa lição de um génio da medicina

792

O Dr. Jacinto Convit, médico conceituado, defende que o amor tem a capacidade de curar o nosso corpo. Por outro lado, o ódio leva a um estado de depressão e desânimo, do qual é difícil reemergir sem uma base de apoio. Essa depressão resultante do ódio mata lentamente a nossa mente e o nosso corpo.

Este génio da medicina dedicou toda a vida à procura do bem-estar, e cuidou dos seus pacientes até o fim. Especializado em dermatologia, o Dr. Jacinto Convit começou a exercer a profissão de médico na Venezuela, na altura em que a lepra se espalhava entre as classes sociais mais pobres.

Aquilo que impressionou logo o jovem médico foi a forma como, durante todos esses anos, os leprosos foram tratados – amarrados e supervisionados pela polícia. Perante esses maus-tratos, o Dr. Convit sempre escolheu o caminho mais moderado, e teve sucesso em mudar as coisas com a sua compaixão.

Foi dos poucos médicos a tratar cada pessoa que ia ao hospital Vargas em Caracas com todo o respeito e dignidade, independentemente do seu status social, embora quem escolha praticar a profissão de médico deva guiar-se por esses mesmos princípios.

O Dr. Convit recebeu vários prémios devido às suas descobertas científicas muito importantes, como a vacina contra a hanseníase, e durante a sua longa carreira, sempre fez questão de seguir um grande ensinamento:

“O amor cura, o ódio mata. Nunca mais odeie. Ame e verá que a vida fluirá como água limpa.”

Uma mensagem preciosa de amor, que todos devemos ter em mente o máximo possível, mesmo nos momentos mais difíceis da vida.

PARTILHE!

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais