Psicólogos explicam os benefícios e a alegria de fazer bolos para outras pessoas

1.684

Já se questionou sobre a razão de não poder deixar de sorrir enquanto prepara deliciosas guloseimas na cozinha da sua casa? Desde o pré-aquecimento do forno, misturar os ingredientes secos e húmidos, até ouvir aquele “ding” satisfatório, já consegue sentir a atmosfera iluminar-se e o seu humor melhorar.

Quer seja um cozinheiro profissional ou muito casual, é inegável a alegria de fazer bolos. Na verdade, pode ser uma forma de meditação e terapia.

O processo é uma ciência e uma arte. A mistura metódica de ingredientes e a adição de medidas precisas podem ser relaxantes, e saber que está a criar uma obra-prima deliciosa é muito satisfatório.

Para alguns, fazer bolos pode ser algo nostálgico, que traz memórias de infância alegres cheias de biscoitos recém assados e receitas originais da mãe e da avó. Às vezes, conseguimos mesmo sentir o cheiro familiar das suas tortas e bolos a sair do forno.

Um estudo recente do Journal of Positive Psychology explica como pode atingir os seus objetivos criativos para promover o seu bem-estar. Esses objetivos podem ser alcançados ao realizar tarefas inventivas e estimulantes, como cozinhar e fazer bolos.

Num estudo relacionado, Haley e McKay discutiram como fazer bolos pode ser uma oportunidade para adquirir novas habilidades. Os participantes do estudo sentiram-se mais confiantes e produtivos depois da experiência culinária.

Surpreendentemente, a beleza e a satisfação de cozinhar também podem ser aplicadas a indivíduos em unidades hospitalares de saúde mental aguda.

Segundo a autora Julia Ponsonby, fazer bolos pode ser considerada uma espécie de meditação prática, com potenciais benefícios físicos, mentais e sociais.

No campo da arte-culinária, fazer bolos também é visto como uma atividade útil para lidar melhor com a depressão, a ansiedade e o vício.

Farmer, Touchton-Leonard e Ross investigaram os benefícios de cozinhar e fazer bolos, e concluíram que os participantes do estudo se sentiram mais envolvidos e empoderados, o que consequentemente melhorou a sua autoestima. De acordo com os participantes do estudo, produzir um produto que podiam consumir ou dar a outros é uma sensação boa e recompensadora.

A beleza e a satisfação de fazer bolos pode ser ainda maior quando tudo é feito de forma altruísta. Ao cozinhar, você fica mais concentrado e tem a esperança que o esforço que dedicou seja a razão do sorriso de alguém. Em todas as partes do mundo, cozinhar para alguém é considerado um gesto atencioso.

Susan Whitbourne, professora de ciências psicológicas e cerebrais da Universidade de Massachusetts, reforçou como o mero desejo de partilhar a sua comida com outras pessoas é uma excelente maneira de construir uma conexão e praticar o amor e o desapego das coisas.

Assim como qualquer hobby, cozinhar permite estarmos entretidos, libertar as nossas energias, expressar as nossas emoções e criatividade, e é ainda melhor se for dedicado a alguém.

Nada supera a felicidade de ver os nossos entes queridos saborear as delícias que preparámos. Apenas tenha cuidado com os níveis de açúcar no sangue – no caso de ter algum problema de saúde, pode sempre pesquisar e criar receitas saudáveis.

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais