Aos 90 anos deixa uma carta escrita à mão para a vizinha: “sinto-me terrivelmente sozinha”

1.011

A coragem de uma senhora idosa inspirou centenas de outros cidadãos idosos a falar sobre a solidão e isolamento e milhares de jovens a procura-los.

Há 2 anos, uma mulher de 37 anos do Missouri chamada Marleen Brooks voltou para casa com um bilhete escrito à mão por uma vizinha que ela nunca conhecera.

“Você consideraria tornar-se minha amiga? Eu tenho 90 anos, moro sozinha e todos os meus amigos já morreram. Estou tão sozinha e com medo. Por favor – eu oro por alguém”, diziao bilhete.

A autora da carta, Wanda Mills, deixou no final a sua morada, e Marleen percebeu que morou do outro lado da rua dela durante 1 ano e meio e nunca chegou a conhecê-la.

“Eu honestamente não sabia que alguém morava lá”, disse Marleen, que chorou ao ler a carta porque recordou a própria avó, que a criou e morreu sozinha nos cuidados paliativos.

No dia seguinte, Marleen e uma amiga foram visitar Wanda com cupcakes, o que deixou a idosa muito surpreendida e feliz.

Sentadas, conversaram com ela por uma hora e descobriram que Wanda morava ali há mais de 50 anos e não saía de casa há 7.

Infelizmente, Wanda sofre de insuficiência cardíaca congestiva, toma oxigénio, tem dificuldade em andar e depende de cuidadores diários, que apesar de visitarem a sua casa diariamente, “não são como amigos”.

“Espero que você não tenha pensado que foi idiota escrever-lhe, mas tive que fazer algo”, explicou Wanda a Marleen.

O marido, a irmã e um dos filhos morreram de Wanda morreram, e o seu outro filho mora na casa ao lado, mas não a visita com frequência.

“Os vizinhos já não são vizinhos como antes. Antes as pessoas visitavam-se, mas já ninguém faz isso”, disse Wanda.

A solidão é um dos maiores fatores de risco para doenças e morte prematura, segundo a médica e autora Lissa Rankin, que aponta vários estudos para apoiar a sua afirmação.

As pessoas solitárias têm taxas significativamente mais altas de doenças cardíacas, cancro, demência, hipertensão, diabetes, infeções, ansiedade, depressão, insónia, vícios e suicídio.

Entretanto, Wanda mudou-se para uma casa de repouso, onde Marleen ainda faz questão de a visitar.

Querendo evitar que outros idosos se sentissem isolados e a sofrer silenciosamente, Marleen publicou a carta de Wanda no Facebook, para lembrar as pessoas de irem ver os seus vizinhos idosos.

A iniciativa culminou na criação de um grupo no Facebook chamado Pen Pals for Seniors, com a intenção de combinar participantes jovens com idosos.

Num mês, ela tinha 6.000 voluntários mais jovens, muito mais do que os 500 ou mais idosos que se inscreveram.

“É bom ainda ter esta conexão com a geração mais velha”, disse Marleen.

PARTILHE!

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Aceitar Ler Mais